domingo, dezembro 28, 2008

¿A Grama do visinho seria mais verde?

Fernando Schweitzer, Florianópolis-SC - Ator Não-Global, Diretor Teatral, Cantor, Escritor e Jornalista


Tanto já se falou e muito mais se falará sobre: futebol, TV, política. São temas esses que até o mais vil ser tem um parecer, por mais roto que o pareça ou não. E todas estas discussões são geralmente bipolares, e não estou falando da doença da moda.

Veja como são as coisas nas discussões bipolares. Esquerda ou direita, na política. Globo ou Record, na TV. Pelé ou Maradonna, no futebol. Dentro desde perspectiva de bipolaridade que ao chegar a Buenos Aires que resolvi conhecer a TV aberta local. Existe aqui um cenário distinto do Brasil, mesmo porque aqui existem também uma líder, mas que não aparenta ter um ar de superioridade e soberba como a líder do Brasil.

A TELEFE, líder na Argentina, tem produtos como: Chiquititas, Floricienta(No Brasil e em Portugal producidas com o nome de "Floribela"), CQC. Ai que entra a questão da ausência de soberba. CQC é um produto criado pela produtora de conteúdo "Cuatro Cabezas". Que criou entre outros produtos a novela "La Lola" exibida dublado em 2008 pelo SBT. O fato inusitado é que CQC estreou na América TV em 1995 encerrando em 1999 suas exibições neste com um programa especial transmitido a partir do Teatro Gran Rex, de Buenos Aires. Em 2001, houve uma edição especial no mesmo teatro em preparação para a chegada do CQC ao Canal 13. Em 2005, o Canal 13 contratou Marcelo Tinelli, objeto de comentários incisivos no programa devido a uma antiga rixa que tem com Mario Pergolini. Isso foi razão para que o CQC e todos os shows da produtora Cuatro Cabezas firmassem contrato com a Telefe. O CQC foi exibido nesse canal nas segundas-feiras às 23h15, e teve sua ultima exibição dia 16 de Dezembro de 2008, em um programa especial e ostensivamente anunciado como o último. E ao bom estilo CQC o apresentador finalizou dizendo: "Que bom que acabou, isso não é para mim!"

Então pensemos que um programa mudar de canal no Brasil raramente ocorre, tivemos o caso Ídolos que migrou por ser um formato da Fremantlemedia ao não terem do SBT antiga emissora a vincular "Ídolos", aumento do valor pago pelos direitos. No Brasil o que ocorre geralmente é o programa mesmo perdendo os seu principais astros, os substituí-los e o programa em tese fica o mesmo, como algo imutável de emissora. Talvez por essa diferença de raciocínio que ocorra no Brasil algo tal qual um engessamento de formatos, e desta perspectiva que se é tão importante para uma emissora pequena ou qualquer outra em contratar um ex-global.

Esse perspectiva baseada em status em detrimento da qualidade é que fazem com que qualquer artista de qualquer área, morra praticamente de fome caso não seja um artista global. Distintamente a prioridade é o conteúdo. Grande exemplo é a produtora, atriz, compositora, escritora e produtora da Argentina. Cris Morena, de Chiquititas, Floricenta e outras. Após anos de serviços a TELEFE, montou sua própria produtora de conteúdo. Quando por divergências migrou Floricienta da TELEFE para o "Canal 13", e hoje "Floricienta", com a mesma qualidade que detinha, não perdendo público pela mudança de canal, de um líder para outra menor.

Esse forma de ver TV pelo conteúdo e não pelo status seria útil no Brasil. Imagine um dia o CQC do Brasil em uma outra rede que não a Band, ou o então o Casseta & Planeta na Bandeirantes. Na Argentina isto seria perfeitamente possível.

Se pensarmos que Garrincha por ter fora de campo fora dos ditos da sociedade conservadora nunca foi considerado o verdadeiro rei do futebol. Podemos pensar que a tal qualidade da TV brasileira é muito mais uma robotização discursiva, uma mera massificação, um grande imbróglio. Deveria-se ampliar as vistas por talvez, apenas talvez, o gramado do vizinho neste caso realmente seja mais verde.

Acredite se quiser!

Fernando Schweitzer, Florianópolis-SC - Ator Não-Global, Diretor Teatral, Cantor, Escritor e Jornalista

Dizer que esse ano foi o ano da Record seria um exagero, caso os seus números ainda insuficientes para bater a média mês da arque rival e ainda primeira colocada no ranking. Em meia a tropeços e êxitos a emissora da Barra Funda cresceu 30% em audiência neste ano de 2008. Enquanto a emissora do "Projac" teve quedas alarmantes em horário que outrora jamais se pensaria, como perder por 40 minutos com sua novela "Vexames da China" que tem sido um péssimo negócio para a poderosa, perder para um jornal sem roteiro ou lógica sólida como o SP Record.

Por mais que absurdo pareça a Rede Record segue com seus produtos com confiança inabalável. Com a saída de Bianca Rinaldi de “Os Mutantes – Caminhos do Coração 2” por causa da licença-maternidade, a terceira fase da trama, que começa em 2009, vai precisar de uma nova protagonista. De acordo com o jornal O Dia, Luana Piovani seria a mais cotada para o papel principal e já teria sido convidada pela Rede Record.

É impressionável ou impressionante, se não os dois. Para que não apostava sequer que Tiago Santiago teria a audácia de escrever uma novela tão nosense como "Caminhos do Coração", quanto mais lançar 2 e agora uma terceira temporada. Algo tão inesperado são os índices da segunda novela da emissora Paulista, quem tem revelado Cristianne Fridman como uma autora muito além de madura, além de boa de Ibope. Nem a saída da estrela maior de sua trama, a atriz Bianca Rinaldi, 33 anos, que estaria grávida de gêmeos, segundo informações da coluna de Patrícia Kogut, do jornal O Globo.

Ao contrário da ex segunda emissora do país a ex 4°lugar do país. Exemplo disso são: A grande final de "ÍDOLOS", nesta quarta-feira(17/12) registrou excelentes índices de audiência para a Record. A atração conquistou por 42 minutos o primeiro lugar de audiência e fechou em 13 pontos de média. Na sexta-feira (19/12), a novela ”Chamas da Vida”, segundo dados preliminares, conquistou 20 minutos de liderança à frente da Globo que exibia o “Globo Repórter”. O que vem a mostrar uma multiplicidade de produtos de êxito da rede, sejam índices ou sejam a variedade dos programas que constantemente tem compartido quizas ganho nos índices.

No capítulo em que Vilma (Lucinha Lins) incendeia o apartamento de Andressa (Mariana Hein), mas acaba colocando a vida da própria filha, Beatriz (Andrea Horta) em perigo, a trama escrita por Cristianne Fridman, conquistou uma média de 16 pontos com picos de 17. No mesmo horário a Globo marcou 17 pontos e o SBT 14. Sendo que na praça Rio de Janeiro, a trama conquistou a liderança isolada com 19 pontos de média contra 17 da Globo.

O que esperar para o próximo ano? A eterna promessa de estréia do 3 horário de Novelas ao estilo colar na grade vencedora e ao contar-se o horário de reprise serão também 4 novelas no ar. Então somadas a dois jornais noturnos, que tiveram crescimento recordes no ano, uma linha de entretenimento com os vitoriosos "Troca de Família" que sem estardalhaço venceu a Globo diversas vezes em sua última temporada e agora vem com uma temporada, sua terceira, e muito mais polémica. Produtos destinadas a públicos alvo e de grande repercussão em distintas camadas como "Ídolos" e "O Aprendiz". Ademais com a consolidação da liderança dos matinais "Fala Brasil" e "Hoje em dia", o primeiro absoluto das manhas, temos um novo cenário de homogeinizacao de índices em alguns horário entre Globo e Record.

O fator tarde e novela das 8 são o ultimo fator a ser vencido pela emissora Paulista para chegar a sua meta que a alguns anos fora ridicularizada ao lancar o slogan "Record a Caminho da liderança". A maior prova de que a Record hoje está chegando a uma zona de conforto perigosa é que até a insossa Eliana, em pleno e disputadissimo domingo teve seus momentos de pico de liderança.

sábado, novembro 29, 2008

Quem está a falar?

Fernando Schweitzer, Florianópolis-SC - Ator Não-Global, Diretor Teatral, Cantor, Escritor e Jornalista

Ao assistir a sabatina da Folha de São Paulo, em 28/11/1980, com o escritor lusitano José Saramago tive algumas satisfações pessoais em meu âmago. É interessante ver que vários posicionamentos que tenho e pelos quais sou sistematicamente criticado no meu dia a dia, sendo coincidentes ao pensador português, são para mim um conforto incólume. O fato de ter alguém de indubitável capacidade, reconhecido discernimento sobre a vida concordando com você é algo que alivia a dor de viver em um país, onde para se ser valorizado tem-se de ser podre e imbecil, quando não as duas coisas. Se fores decente serás no mínimo ridicularizado, se não perseguido por este ato radical e incoerente nos dias atuais.

Certas falas que já cometi, semanticamente se não exatamente, em público e de veras já fui rechaçado por, me chamaram a atenção:

"O mundo está totalmente errado e eu faria e faço de tudo para modificá-lo."
"Após a inquisição como você continua a crer no Cristianismo?" - Se auto-citando quando fora em uma entrevista anterior do pôr que nos dias de hoje ainda ser comunista.
"Como tenho em uma parte do corpo um hormônio que me faz crescer a barba, há um hormônio que me obriga mesmo que eu não quisesse, por uma espécie de fatalidade de lógica a ser comunista!" - Quando questionado e ao explicar porque ele seria uma "comunista hormonal".
Para chegar a essa conclusão óbvia que a atualidade impõe que o Marx nunca teve tanta razão como agora."

Onde poderia eu querer chegar com essa minha colocação inicial, citando estas frases posteriormente? Simples. Estas frases fortes perante a uma sociedade irracional proferidas por qualquer um pareceria uma retórica bulcefálica de um revoltado fracassado perante as maravilhosas possibilidades do mundo atual. Mas ao ser dita por Saramago levava a risos de concordância e aplausos de pá da platéia da sabatina.

O Nobel de Literatura falou sobre como teve a idéia para escrever "Ensaio sobre a Cegueira". Que surgiu quando comia em um restaurante. Ao se perguntar "E se todos nós estivéssemos cegos?", no que ele mesmo respondeu: "Mas nós estamos todos cegos". Esta cegueira creio eu que está ligada diretamente ao mote atual do status versus qualidade.

Neste como em outros momento a sinceridade cavalar de Saramago seria ponto de retaliação, caso dito por outra pessoa que não ele:

"Por que precisamos de Deus? Nós o vimos? A Bíblia demorou 2000 anos para ser escrita e foi redigida por homens", disse o escritor. Para ele, a Bíblia é um "desastre", cheia de "maus conselhos, como incestos, matanças".

Ele ainda voltou a criticar a Igreja, afirmando que ela inventou o pecado para controlar o corpo humano. "O sonho da Igreja é transformar todos em eunucos, quer dizer, os homens, porque as mulheres não podem ser eunucas".

Muitas pessoas crêem que deva existir um momento dado e específico para cada tema, nisso até compactuo. Mas que independente disso, se confundem nesta argumentação pessoas que dizem que existem momentos específicos para se ser sincero. Pois será que existe diferença entre ser sincero e estar sincero? Com certeza!

sexta-feira, novembro 28, 2008

Fogo de Palha, ou Chamas da Vida?

Fernando Schweitzer, Florianópolis-SC - Ator Não-Global, Diretor Teatral, Cantor, Escritor e Jornalista

A quatro meses no ar Chamas da Vida mesclados a vêm mostrando vitalidade, abordando temas polêmicos, atuações fortes em todos os núcleos como o denso pedófilo Lipe. Também um tema nunca abordado antes tão a fundo e de forma tão responsável e verosímil é a AIDS. A personagem de Rogério Gobéth, um bombeiro mulherengo que tem nos últimos capítulos entrado em crise com a possibilidade de ter infectado sua namorada é outro ponto que tem levantado os índices da trama.

Apesar de estar recebendo do horário anterior com uma audiência sofrida, já que no último mês Os Mutantes têm ficado por volta dos 12 pontos. Mesmo com esse revés do programa antecessor as médias divulgadas semana passada surpreenderiam pessoas desatentas a evolução da trama de Chamas da Vida. O reencontro de Vivi, menina estuprada por um pedófilo com objetivo de fazê-lo informar o cativeiro de um menino, pois ele afirmara que somente a ela daria a informação foi um dos ápices do capítulo de segunda.

Na última segunda dia 10/11, em Fortaleza, marcou uma média de 29 pontos, com picos de 35, contra 25 da Globo. No Rio de Janeiro, os números surpreendem também: 18 pontos com pico de 20 pontos e 28% de participação. Já em São Paulo os índices são satisfatórios, Chamas da Vida mantém a Record na vice-liderança isolada com uma média de 14 pontos no Ibope. Mas não é só na capital Paulista que a trama faz sucesso. No Nordeste, a trama consegue ficar na liderança à frente da TV Globo.

Vidas Opostas a trama anterior a primeira temporada de Caminhos do Coração também teve trajetória similar perante o Ibope. Vidas Opostas ganhou o nordeste antes de ganhar o Brasil. Meses antes de liderar pela primeira vez numa quarta feira, dia frágil no Ibope da Globo, em nível nacional já era líder absoluta no nordeste e norte do país. Em momentos como este onde o diretor da minissérie "Capitu", Luiz Fernando Carvalho, reclamou de cortes no orçamento da Globo. "Faço TV na contramão. É uma guerra santa", disse segunda a Coluna Zapping de 30/11. A minissérie estréia dia 9 de dezembro.

Ao ritmo alucinante em que a trama de Cristianne Fridman o que espera-se é que as tramas não se esvaziem ou criem barriga. Mas a considerar sua ultima trama Bicho do Mato, que teve nos 5 meses finais uma ascensão até a liderança nas 2 semanas finais, pode-se esperar índices cada vez melhores para sua trama atual.

Mas no que depender do aval da emissora para a abordagem de temáticas polêmicas, Cristianne pode ficar tranqüila. Pois até em horários diurnos a polêmica estará presente na emissora. A Record exibirá em janeiro um episódio do Troca de Família em que um rapaz de 19 anos, de Guarulhos, na Grande SP, é homossexual assumido. Os parentes aceitam numa boa. Na outra família, uma moça de 29 anos, de Itobi, no interior de SP, não toca no assunto para evitar discussões. Ela é biomédica e tem namorada. O programa é apresentado por Ana Paula Tabalipa.

Que a diferença continue fazendo a diferença. Que os temas abordados saiam do feijão com arroz das limitadas salas de pesquisa de opinião. As vezes escutar e seguir seus extinto podem trazer boas novas. No caso de Chamas da Vida foi assim. A não utilização dos grupos de pesquisa de opinião da um ar bastante engajado, opinativamente acertado e ágil para a trama.

terça-feira, novembro 25, 2008

Qualidade que raridade!

Fernando Schweitzer, Florianópolis-SC - Ator Não-Global, Diretor Teatral, Cantor, Escritor e Jornalista




Para aqueles que crêem que as novelas Brasileiras, ou como muitos crêem as Globais são o que há de melhor no mundo, equivoca-se. Em matéria publicada em 25/11/2008 no Jornal O Globo e Reuters, que dá enfase a perda da enfadonha "Paraíso Tropical" no Emy Intenacional, vi como um raio de esperança o comentário de um leitor a esta matéria pra variar (sic) tendenciosamente puxassaquista de Patrícia Kogut.

O ator britânico David Suchet, vencedor do Emmy Internacional de melhor ator pela série 'Maxwell' / EFE

NOVA YORK - Brasil saiu sem nada e os programas britânicos dominaram o Emmy Internacional na noite de segunda-feira. Já a Argentina e a Jordânia tiveram suas primeiras vitórias na premiação da TV.

A Argentina levou um dos prêmios mais importantes da 36a edição da cerimônia - melhor filme para TV ou minissérie, por "Television Por La Identidad", que fala sobre as mulheres grávidas "desaparecidas" entre 1976 e 1983 e a busca pelas crianças.

Dentro do comentário que diz: "É difícil para o público do exterior engolir os fechamentos das novelas brasileiras, onde tudo magicamente se resolve no último capítulo. Ou ainda premiar um país onde os capítulos cada dia tem uma duração." do leitor Daniel Figueiredo Guimarães. Nem todas as colocações do comentário compactuo, mas este trecho recebe meu aval em meio a gritos e aplausos. Será que finalmente alguém além da minha pessoa enxerga o desprepara e a irracionalidade das tramas Globais?

Que os argentinos sejam premiados não é a mim surpresa alguma. Parece isso uma rechaça de uma Globista de carteirinha as vitórias incessantes de Chiquititas sobre a poderosa? Raiva porque Pérola Negra, SBT, mesmo sem verbas e grandes investimento na época colou no Jornal Nacional? Ou uma birra sem motivo com qualquer coisa proveniente de la Tierra del Fuego, como o CQC, formato da TV Argentina e exportado para 24 países, que esvazia a pauta do imensamente desgastado "Casseta"? Acredito que tudo isso junto. Além do fato de estar meio abalada por sua "rainha" ter perdido para a Imperatriz Menina Maísa da Silva Andrade, do SBT, que ganhou de Xuxa, da Globo, por 9 a 7 pontos no Ibope, sábado.

É de se salientar o quão uma mídia auto-promocional pode ser manipulativa e tendenciosa pois neste caso específica vem a reafirmar a ladainha desde a ditadura conhecida sobre o grande "valor cultural" que tem a rede dos Marinho para o país. Sempre penso nestes caso pela linha Freudiana: A auto afirmação sempre é uma forma um discurso preventivo de quem tem algo a esconder, e/ou tenta mostrar ser algo que não o é.

Essa necessidade da Rede Globo e seus capachos ideológicos sejam eles pagos ou não de se reafirmar é a mostra clara de que qualidade ali não há!


quinta-feira, novembro 20, 2008

O Mundo a seus dedos

Fernando Schweitzer, Florianópolis-SC - Ator Não-Global, Diretor Teatral, Cantor, Escritor e Jornalista



Criada inicialmente com o objetivo subjetivo de integração e como facilitador para a comunicação entre pessoas hoje a Internet se tornou além de tudo em uma fonte inesgotável de informação de múltiplos gêneros e funções. Segundo o INTERNET USAGE STATISTICS - The Big Picture (19 de março de 2007). Quase 20% da população do planeta utilizada a rede mundial de computadores, a “Internet”.

Hoje se pode ter certeza que qualquer novidade que surja no mundo foi se não criada na internet, pelo menos a idéia fora testada na internet antes de entrar no mercado.

Se a internet é o caminho ou o canal do futuro? Bem vários números e estudos podem dizer melhor que qualquer um. Agora uma coisa é certa, que no mínimo a Internet se tornou mais uma opção seja para a comunicação, troca de informação e/ou negócios é impossível negar. O sistema que no momento de sua criação em meio a guerra fria, simplesmente tinha como objetivo ser sistema de da integridade da informação caso uma das conexões da rede sofresse um ataque inimigo, pois o tráfego nela poderia ser automaticamente encaminhado para outras conexões, no futuro isso mudaria. O curioso é que raramente a rede sofreu algum ataque inimigo. Os "Hackers" ainda não existiam na época.

Hoje a informação e automação são conceitos que se misturam e se diluem. Pois você automaticamente consegue qualquer informação via Internet. Apesar do trocadilho é sabido que são termos diferentes.

A Internet hoje muda idiomas de baixo para cima, enquanto reformas ortográficas vem na contra-mão desse novo tempo. Pela web neologismos e novos termos pipocam a cada minuto, os que pegam e conseguem adeptos sobrevivem os que não fluem morrem no desuso. Outra grande revolução cultural foi a criação do “orkut”, pois se o e-mail substituiu o fax, o mp3 o CD Player, o "orkut" veio revolucionar o conceito de amizade e de vida privada. A inter-relação por temas e por hiperlinks constituiu uma nova forma de abordar desconhecidos "quase conhecidos", vigiar namorados, iniciar ou até mesmo acabar com relacionamentos. Excluir ou possuir alguém do “orkut” é hoje um ato sócio político relevante para muitas pessoas.

Mas como um país sem passado é um país sem futuro, isso também cabe a Internet. Ela começou na década de 1960. Para entender o conceito de Internet, a rede mundial de computadores pensemos que tudo surgiu no período em que a guerra fria pairava no ar entre as duas maiores potências da época, os Estados Unidos e a ex-União Soviética. Os americanos queriam desenvolver um sistema para que seus computadores militares pudessem trocar informações entre si, de uma base militar para outra e que mesmo em caso de ataque nuclear os dados fossem preservados. Um sistema que permitia então a interconexão de computadores, através de um sistema conhecido como comutação de pacotes foi criado.

Mais além de tudo segundo o sociólogo espanhol e estudioso da rede, Manuel Castells, em seu livro "A Galáxia da Internet" (2003) pode-se dizer que "A Internet é, acima de tudo, uma criação cultural". E ao pensarmos que nenhum individuo decide que indivíduo ele será e que a construção social é um fator preponderante no discurso sócio-normativo, podemos concordar com Castells.

Adicionando à complexidade está a capacidade de mais de um computador utilizar a Internet através de um nó de rede (um endereço IP). O que pode parecer uma "Torre de Babel" pós moderna, poderia ser dada como um reflexo da hiper população mundial e o acesso hoje um pouco mais acessível a várias camadas da população, ainda que não a maioria. O que não deixa de ter um grande reflexo já que o fluxo de informações que trafegam pela Internet, segundo a empresa Nemertes Research Group, que afirma que a rede mundial poderá sofrer um colapso em 2010 devido à escala de dados trafegados, pois a atual estrutura não iria comportar o volume de dados nos próximos anos.

No meio de tanta informação surge sempre a questão "liberdade de expressão". Ao se falar de Internet este tema sempre irá surgir. A rede possibilita a qualquer indivíduo um pouco mal-intencionado publicar informações ilusórias sobre algum assunto, prejudicando, assim, a consistência dos dados disponíveis na rede. A cada dia portais de conteúdo utilizam-se mais e mais do apontamento de fontes para combater isso.

É necessário também compreender o fluxograma da informação no cyber espaço. Para o funcionamento da Internet existem três camadas de protocolos. Na camada mais baixa está o Protocolo de Internet (Internet Protocol), que define datagramas ou pacotes que carregam blocos de dados de um nó da rede para outro. A maioria da Internet atual utiliza a IPv4, quarta versão do protocolo, apesar que o IPv6 já está padronizado, sendo usado em algumas redes específicas somente. Independentemente da arquitetura de computador utilizada por dois computadores comunicando entre si na Internet, desde que eles compreendam o protocolo de Internet, eles podem se comunicar. Isso permite que diferentes tipos de máquinas e sistemas possam conectar-se à grande rede, seja um PDA conectando-se a um servidor WWW ou um computador pessoal executando Microsoft Windows conectando-se a um computador pessoal executando Linux.

Quando retomamos o jargão de que as restrições a Internet podem também ser uma forma de ditadura, não estaremos errados, apesar de muitas vezes liberdade ser confundida com libertinagem. O perfil libertário da Internet cada vez mais se consolida com o surgimento mais e mais de Softwares de código livre. Idéias se tornam também dinheiro na rede. Um grande exemplo é a gigante Google, avaliada em bilhões. Existem também outros fenômenos da Internet se refere a uma série de pessoas, vídeos, imagens, canções se popularizaram primordialmente na Internet, tornando-se verdadeiras celebridades instantâneas e ainda chegando a outras mídias devido ao sucesso na rede.

É inevitável a abordar o tema a discussão Windows x Linux sempre gera polêmica e divide opiniões, pois os dois têm fiéis defensores de suas vantagens e aplicações no mercado. Esses sistemas operacionais que facilitam o uso para leigos dos computadores eram disponibilizados geralmente pela compra de um Software. Após o surgimento do Linux se deu originalmente na Finlândia, escrito por Linus Torvalds do Departamento de Ciência da Computação da Universidade de Helsinki, com a ajuda de vários programadores voluntários através da Usenet (onde usuários postam mensagens de texto em fóruns que são agrupados por assunto).

A maior prova de que a Internet virou um negócios são as poderosas Google e Microsoft. Para quem acompanhou os caderno de informática e economia pôde ver que nos últimos meses a Microsoft tentou comprar a Yahoo!, a Google negou a fusão com a mesma Yahoo!. Em um momento de crise americano é meio de se assustar que concorrentes estejam se cortejando. Enquanto em meio a essa crise por incrível que parece o Brasil se veja estável, devemos estar a par do ocorrido no Império do Norte.

Hoje além do maior campo de usuários no mundo virtual, os Norte Americanos produzem cerca de 15% do PIB mundial. Mais em meio a crise dos países ricos, emergentes vêem uma oportunidade de negociar entre si e também romperem barreiras entre as super potências. A falta de volatilidade nos mercados Europeus e Americanos trás como alternativa mercados emergentes e tecnologicamente menos avançados como alternativa de novos consumidores.

Por mais que a americanização seja a bola da vez, mesmo perante a crise americana ao contrário do que se pense a Internet e o "WWW" não é criação americana. Na Universidade de Oxford, situada na cidade de Oxford, na Inglaterra, é a mais antiga universidade do mundo anglófono. Sir Timothy John Berners-Lee, inventor do World Wide Web e diretor do World Wide Web Consortium, que supervisiona o seu desenvolvimento. Além disso, em 2004, Timothy venceu o Millennium Technology Prize, o que lhe rendeu 1,2 milhão de euros. Ele construiu - inicialmente e unicamente com página de texto, foi no CERN e foi colocada online em 7 de agosto de 1991.

A Internet tornou-se um imenso atrativo para empresas, que fazem uso da natureza eficiente da publicidade com baixo custo via Internet. A rede mundial é a forma mais rápida de difundir informação simultaneamente para uma grande quantidade de pessoas atualmente. A simultaneidade é o grande atrativo para quem quer vender uma idéia ou produto, e a não necessidade de um meio físico reduz os custos.


Em meio a era digital e convergência de mídias a Internet é o ponto afunilador de várias linguagens. Hoje com os avanças ela é TV, Rádio, telefone, biblioteca, enciclopédia, amigo, inimigo e tudo mais que você permitir.

segunda-feira, novembro 17, 2008

Paginas: Como fazer simples!

  • BAIXAR MODELO
  • DEFINIR O SITE
  • PERSONALIZAR O LAYOUT
LINKS, IMAGENS PHOTOSHOP, TEXTOS, CORES - DW

  • INSERIR REGIÃO EDITÁVEL E SALVAR O MODELO
  • CRIAR ARQUIVOS NOVOS A PARTIR DO MODELO E BOTAR O CONTEÚDO

Qual "ex" vale mais?

Fernando Schweitzer, Florianópolis-SC - Ator Não-Global, Diretor Teatral, Cantor, Escritor e Jornalista

Como e quando que neste país a qualidade vencerá o status. E não falo do público comum de meros mortais, digo no meio de especialistas mesmo. Parece que se sublima a verdadeira análise pelo "status quo" estabelecido a anos. Tenho me perguntado a tanto tempo o porquê de se desvalorizar um profissional por simples preconceito.

Hoje no país nós temos um termômetro, um medidor estranho quanto a qualidade dos atores no país. Os critérios para tal escala qualitativa não me perguntem, pois a mim parece inexplicável. O "ranking" atual da qualidade cênica-técnica é mais ou menos assim:

Conceito A - Atores Globais, Hollywoodianos e qualquer um sem formação que participe de um grande êxito midiático.

Conceito B - Atores ex-Globais independente de terem nível técnico ou formação que estejam na TV embora não na Globo.

Conceito C - Excelentes atores que nunca estiveram na Globo, mas estão na TV para não morrerem de fome. Que tem vasto currículo!

Conceito D - Atores e atrizes que não terão nunca seu rosto na Revista Contigo nem como rodapé de uma novela da Band, naquele resumo diário de capítulos. Que além de espetáculos em teatro e cursos para capacitação durante toda a vida nada terão, muito menos reconhecimento profissional.

De onde tirei essa analogia estapafúrdia? Creio que uma mescla de leituras de jornais, assistir espetáculos de "níveis diferenciados" cujo ingressos variam do gratuito aos R$ 100,00 ( Com atores geralmente do "Conceito A", filmes variados do sem patrocínio para pagar o lanche dos atores aos sonolentos de orçamento de 10 bilhões de dólares. Creio que mesmo sem nenhum conhecimento teórico qualquer ser humano ético pode fazer uma comparação por experiência empírica.

Ex por ex, qual é a de vocês?

Em nota do Jornal O Globo - On Line, publicada em 15/11/2008 às 09h32m, a jornalista Simone Mousse me incomodou por trazer um pré conceito, ou revitaliza-lo. Vejam que 5 linhas podem acabar com uma carreira, pelo menos até a atriz regressar a poderosa:

Maytê Piragibe, a vampira do bem de 'Os mutantes', estréia no cinema

Rio - Depois de ter ficado cinco anos na TV Globo e, em 2006, protagonizar a novela "Vidas opostas" no horário nobre da Record (com uma personagem densa que se casava com um traficante), Maytê Piragibe anda às voltas com uma trama bem menos sóbria. Em "Os mutantes", ela interpreta Nati, uma policial gente boa que virou vampira por acaso em uma história das mais rocambolescas. No cinema, porém, ela voltou a se exercitar em um papel dramático: em "Rinha", ela é uma menina de 16 anos que é estuprada depois que o irmão a aposta em uma luta livre.

Eu imagino o que seria uma história "rocambolesca" ou uma trama menos "sóbria"? Como se nunca ninguém tivesse na história ganho o Óscar por uma atuação em um filme de ficção. A pretexto de informar que a atriz fará um filme que aparenta ter um enredo diferenciado, toca no ponto ferida como diriam os antigos. E aí me perguntei: Maytê Piragibe (com 20 anos de carreira) é pior atriz que Grazi Massafera(Ex-BBB)? Perguntas e mais perguntas que nem sei se poderia expressa-lás sem ser processado. e a matéria continua a espizinhar, cutucar a pobre moça:

Já as cenas na novela da Record podem parecer constrangedoras, mas a atriz tem um truque: tentar se divertir do começo ao fim.

- Cara, a Nati é uma vampira do bem. As críticas à novela estão aí, mas tudo que é diferente sofre rejeição mesmo. Claro que o texto é surreal e a novela é uma grande brincadeira, apesar de ser feita com seriedade. As pessoas têm que entender que é uma trama voltada para o público infanto-juvenil - diz a atriz.

Critérios ou despaltérios

Será que nossa colega do jornal carioca não compreendeu a indireta? Bem, pela produção da matéria num todo, devemos concluir que não. E se eu me permitir ir mais além chega a ser patético sublimar minha indignação e indagar certas coisas.

Me custa pensar que novelas como Vamp, O Beijo do Vampiro, Roque Santeiro, Mandala, Olho no Olho apenas por serem produzidas pela emissora dos Marinho mereçam mais respeito que Os Mutantes. Ainda me deixar perplexo o tendencionismo da pergunta onde obviamente falseia-se a pergunta que fora feita a atriz, pois a resposta não condiz exatamente com a "pergunta veiculada". E insinuar que levar uma personagem, por mais fora da realidade que seja, a sério é "um truque" é de uma inversão de valores grotesca.

Que você seja de um veiculo x ou y e de predileção as pratas da casa tudo bem, mas desmerecer uma profissional por não ser parte de sua currutela é demasiadamente esdrúxulo para um profissional em um dos maiores veículos do país indiscutivelmente. Esperemos que as pessoas não usem os mesmos critérios de qualificação para os profissionais de jornalismo, como certos jornalistas para com os profissionais de outras áreas. Senão os processos, achaques de jornalistas furiosos se defendendo através de seus veículos irão multiplicar-se pelas mídias.

terça-feira, novembro 11, 2008

Remédio para o Ego

Fernando Schweitzer, Florianópolis-SC - Ator Não-Global, Diretor Teatral, Cantor, Escritor e Jornalista

O que houve com o Jô? Parece que o nosso célebre intelectual multi uso está com saudades de fazer humor. A cada dia as entrevistas e entrevistados são meros panos de fundo, para o Jô humorista.
Cada vez mais restrito em seu leque de convidados, no sentido intelectual, e cada vez mais amplo na babação de ovo das pseudo-estrelas "new generation" globais. Onde estão as entrevistas com personagens inusitadas? Estão ainda lá, mas o ego por ser Global faz do "entrevistador" Jô uma figura pedante, que chega ao ponto de constranger um entrevistado.

Um remédio para o ego

Ultimamente e felizmente algum esboço de concorrência no horário surgiu para acabar com a hegemonia do comediante no horário, ingrato diga-se de passagem. Tenho saudades do Jô Soares 11 e meia, pois além de uma maior liberdade na linha editorial das pautas abordadas os entrevistados não eram "merchan" de produtos da casa, como hoje.

David Shore, criador de "House" em entrevista para jornalistas da América Latina veiculada na Coluna da Patrícia Kogut de 11/11/2008, adiantou algumas novidades da nova temporada que estréia em circuito fechado no continente. É incrível pensar que a Record apesar do acordo com a Universal esteja ainda passando a 1ª temporada, após ter passado a segunda e a terceira antes do início da trama. Ainda assim o médico resmungão tem sido o remédio para os telespectadores madrugueiros, assim fugindo do Programa Publicitário do Jô. O seriado é um fenômeno tão grande também na TV aberta por aqui, tem constantemente sido líder pela TV Record entrando após a sua linha de shows. Enfrentando o final do Jornal da Globo em metade do seu 1° bloco e depois o "Programa do Jô".

Transtorno bi-polar tem cura?

Shore afirma que o Dr. House não perderá o seu perfil na quinta temporada, continuará ácido e sarcástico como nas temporadas anteriores. Quem dera que o Jô tivesse essa mesma coerência no seu perfil. O humilde humorista que antes se aventurara como apresentador hoje inverteu seu papel, tenta se pregar como o grande intelectual e entrevistador, mas está cada vez mais humorista.

Vale Tudo, Rinha de Galo, Programa do Jô

Em um show de humor vale tudo pela piada, em uma entrevista não deveria o ser. Pense naquele gari que queira ou não se deslumbraria ao ser entrevistado pelo por muitos ainda considerado o melhor entrevistador do país, virando motivo de chacota após uma constrangedora piada do grande intelectual que ao falar algo torna fato um comentário geralmente preconceituoso e reacionário. E o ato falho de constranger para entreter está em todas as entrevistas hoje exceto a com os contratados da casa.

A ética deixou de permear o entrevistador Jô, ou o humorista aprisionado está gritando por liberdade?

segunda-feira, outubro 27, 2008

Prefeitos são aliados LGBT?

Fernando Schweitzer, Florianópolis-SC - Ator Não-Global, Diretor Teatral, Cantor, Escritor e Jornalista


Dário Berger - FloripaJá se sabe o resultado da eleição 2008 nas duas maiores cidades de Santa Catarina. Às 19h, as duas cidades já tinham seus novos prefeitos eleitos.

Em Florianópolis, o prefeito Dário Berger (PMDB), se reelegeu com 57,68% dos votos válidos. Em Joinville, Carlito Merss (PT) é o novo prefeito com 62,15% dos votos válidos.

Dário e Carlito eram os únicos candidatos a prefeito no segundo turno em Santa Catarina que eram aliados as causas LGBT. Não só os partidos, candidatos e correligionários saíram vencedores. Os homossexuais das duas cidades também podem comemorar. Os demais candidatos não apresentaram qualquer proposta ao público gay. Já Dário e Carlito além de aliados também expuseram propostas em seus planos de governo. Segundo matéria de Júlio Fantin - Portal G.

A expectativa em Joinville é que Carlito apóie em 2009, a realização da primeira parada da diversidade da cidade.

Espera-se que na prática as ações sejam também um pouco mais do que verbas para paradas, mas que venham criar-se leis em prol da comunidade GLBT nesta nova legislatura.


Votação dos eleitos:

Florianópolis

- Dário Berger - 129.969 votos - 57,68% dos votos válidos - REELEITO

Joinville

- Carlito Merss (PT) – 170.995 votos – 62,15% dos votos válidos - ELEITO

10 anos de TV USP terá colunista catarinense!

10 anos de TV USP terá colunista catarinense!


Fernando Schweitzer, que neste ano teve 18 artigos sobre mídia e TV publicados no Observatória da Imprensa, e colunista do "Jornal Correio da Ilha", estará no programa especial vinculado ao vivo pelo site da TV USP - www.usp.br/tv/, e reproduzido gravado pela TV Universitário de São Paulo - Canal Universitário de São Paulo (CNU), canal 11 pela NET, ou 71 pela TV. Haverá platéia que fará perguntas e outros 2 especialistas na mesa de debates. "Reconhecendo seus conhecimentos e experiência em crítica televisiva, gostaríamos de convidá-lo para participar do projeto “TV USP 10 anos: Uma parceria entre a sociedade, a Universidade”, vindo à Universidade de São Paulo realizar um debate sobre o tema “Ética na TV”, realizado na Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH) da USP, no dia 5 de novembro das 14h às 16h." - reproduzido do convite oficial.


ATT,

Assesoria de Imprensa

Fernando Schweitzer

048 - 3035-6288 / 9612-1836

domingo, outubro 19, 2008

Santo Ibope!

Fernando Schweitzer, Florianópolis-SC - Ator Não-Global, Diretor Teatral, Cantor, Escritor e Jornalista

Muito se fala sobre a qualidade na TV, seja em que esfera for, com o único ícone de tal mérito de discussão em blogs sobre TV, sítios de relacionamento. Existem tópicos de debate, enquetes de opinião o que mostra que como o futebol a TV é também fonte de discussões encaloradas. E hora e meia um novo tufão tumultua os índices de audiência na TV de sua estática conjuntura.

A via de regra do Ibope teve forte alteração nestes dias recentes devida a ampla cobertura que a Record destinou ao caso do sequestro em Santo André. Embora sempre tenham muitos relutância ainda no país vários especialistas em TV ou não, em citar como jornalismo de primazia e qualidade.

Tivemos por exemplo nasexta que se passou, o ”SP Record”, bateu recorde com uma média de 17 pontos e picos de 22. O jornal ficou por aproximadamente 40 minutos – não consecutivos – à frente da Globo que exibia as novelas “Negócio da China” e “Três Irmãs”, que tiveram índices abaixo dos 20 pontos em vários momentos. O “Jornal da Record”, também, conseguiu ofuscar a audiência do Jornal Nacional. Enquanto a emissora do bispo Edir Macedo marcou 15 pontos a Globo obteve 32 pontos.

Além do Jornal

Que a sociedade do espetáculo é o grande fenomeno da sociedade atual não podemos mais negar. E o reflexo indubitável disso fora o que houve esta semana. ”Hoje em Dia” exibido na manhã deste sábado (18/10), registrou a melhor média de audiência desde a estréia no dia 22 de agosto de 2005. O que vem mostrar que mesmo fora de seu local de origem o noticioso sensacional tem respaldo social. A revista eletrônica das manhãs da Record abordou o seqüestro da jovem Eloá Cristina Pimentel, de 15 anos, com direito a entrevistas exclusivas. O seqüestro acabou de forma trágica e a garota foi baleada pelo ex-namorado Lindemberg Alves, de 22 anos, após 100 horas de negociações, em Santo André, no ABC, e está internada no Centro Hospitalar Santo André. Segundo dados preliminares, na faixa das 9h40 às 13h, obteve 14 pontos de média e 17 de pico garantindo a liderança isolada. No mesmo horário de exibição Globo registrou 11 pontos de média e o SBT 8, que liderou com a pequena Maisa as 3 semana anteriores.

As pessoas consomem coisas muitas vezes por motivos aparentemente irracionais. Mas não deveria ser de se estranhar que em um programa de entretenimento se abordem as coisas ou acontecimentos. O que ocorre e é de se espantar é que um programa leve quase que sua totalidade na busca por repercussão e telespectadores um caso como este de Santo André, em plenmo sábado de manhã.

Que uma emissora tenho um perfil assim, ou assado é plausível. Cada cabeça uma sentença! Mas o desenfreado desnorteio de rumo em busca de altos índices está fazendo com que a Record ao ínves de se consolidar como opção, vire um alvo fácil e também auxiliando seus rivais em uma retórica contra a uma possível homogeinização das audiências da TV brasileira.


terça-feira, outubro 14, 2008

Histórico Instituto ARCO-ÍRIS

Fernando Schweitzer, Florianópolis-SC - Ator Não-Global, Diretor Teatral, Cantor, Escritor e Jornalista


O Instituto Arco-Íris é uma OSCIP (Organização da Sociedade Civil de Interesse Público), entidade não governamental, de Utilidade Pública e Sem Fins Lucrativos.

Temos como finalidade a promoção da Saúde, dos Direitos Humanos, a Prevenção ao HIV/AIDS e a Redução de Danos associados ao consumo de drogas entre populações socialmente excluídas.

No momento estamos com um Projeto em execução e, aguardando o momento certo para iniciarmos nossas tarefas na Grande Florianópolis, mais precisamente no Bairro Chico Mendes,
com atividades que descreveremos em nosso Boletim, mas que passam pelas Artes (Música, Teatro, Canto, Dramatização), Palestras (Informações sobre formas de Prevenção das DST's /AIDS, Palestras sobre como escrever um livro, etc), Contos, etc.

Você pode colaborar com o Instituto Arco Íris de diversas formas.

Pode, por exemplo, dedicar uma hora de sua semana para trabalhar como voluntário(a) em nossa sede.

Se você não puder dedicar seu tempo pessoalmente, pode colaborar financeiramente, pois temos diversos gastos e recebemos apenas (poucos) recursos públicos.
Se por algum motivo você preferir esta modalidade de cooperação, aceitamos e agradecemos antecipadamente depósito em nossa conta Poupança.

Caixa Econômica Federal
Agência 408
Operação: 13
Conta nº 11195-3

Informações concedidas pelo membro do Instituto: Roberto Luiz Warken.

sábado, outubro 11, 2008

E Marte Contra-Ataca!

Fernando Schweitzer, Florianópolis-SC - Ator Não-Global, Diretor Teatral, Cantor, Escritor e Jornalista


Traumaturgo Ferreira e Cláudia Alencar, na noite de sábado me impactaram com uma singela cena onde contracenavam, e não contracenavam. A cena onde falavam por telefone de sua história de amor no passado. Parece-me uma tentativa após o declive no ibope da trama, do autor Tiago Santiago. Em tese parece que os "defeitos especiais" que invadiram a trama nesta segunda temporada foram deixados de lado.

A dura tarefa de combater a poderosa Rede Globo, se frustrou após a trama migrar para o horário das 21h. Embora tenho estreado com 20 pontos, o recorde no horário, para a Record. A trama policial virou sobrenatural, uma ficção ciêntifica que trouxeram dois problemas. O primeiro é a inevitável comparação dos efeitos com produções Hollywoodianas, antes amenizado pela trama comica emcabeçada por Patrícia Travassos e André di Bease, com um par romântico inusitado onde são cunhados que se amam e ainda brigam por uma herança bilionário, o que faz eles separarem. Outro fator hilariante é a personagem de Claudio Heidrich, um gay assumidissimo, que casa com as melhor amiga que apaixonada por ele e para dividir também essa milionário herança aceita casar-se com o amigo gay. O segundo foi o reencontro do casal protagonista ter sido morno e amenizado devido ao horário novo da trama e seu foco de público atual, ao público jovem, justamente o que mais rejeitaria então o excesso de efeitos na segunda temporada.

Essa retomada de tragetória é repetida, pois a trama ganhou muito público devido as tramas relacionadas ao humano. E menos aos mutantes. Mas a Torre de Babel que ocorre agora é devida a invasão Reptiliana. Tiago tem uma grande tarefa no momento, ao mesmo tempo que busca restaurar características da 1ª temporada humanizando as personaghens com conflitos cotidianos, grande trunfo de Prova de Amor, novela que o projetou, tem uma invazão de marcianos com codnome dado "Reptilianos".

Outra tórrida controvérsia é que a grande rival de "Os Mutantes" é a prata da casa. Chamas da Vida, hoje tem índices maiores que a colega de emissora. Uma derrota particular pois Cristianne Fridman em sua novela anterior sofreu intervenção de Tiago Santiago na trama de "Bicho do Mato" sua primeira novela em horário nobre. Temas fortes como pedofilia, levantam a audiência da novela neste momento.

Nos bastidores rola o boato de que Tiago não tem gostadop de estar perdendo para a colega de casa, e por isso uma reviravolta no perfil da transloucada "Os Mutantes" já estaria sendo cogitada. Entre autos e baixos ver atores como Cláudia e Tramauturgo emerginerem em meio a mutações e ETs é de se respirar avaliado. Além do fator excelente para o mercado de atores com uma trama que giram em torno de mais de 70 personagens.

terça-feira, outubro 07, 2008

Aurélia: o Dicionário do Arco-ìris

Fernando Schweitzer, Florianópolis-SC - Ator Não-Global, Diretor Teatral, Cantor, Escritor e Jornalista


Conheça os verbetes curiosos do Dicionário Aurélia - Do jornalista Victor Ângelo, 38, autor da obra

Escolha o verbete pela letra...

Lançado em 30/06/2006, São Paulo, o dicionário "Aurélia" que decifra os termos do universo gay. Para o jornalista Victor Ângelo, 38, autor da obra, é uma honra lançar o primeiro dicionário gay do Brasil. Em um dos trechos o dicionário traz: "Nossa intenção é a de levantar o maior número possível de termos ligados de alguma forma à cultura gay e lésbica".

Artigo: Criminalização da Homofobia

Fernando Schweitzer, Florianópolis-SC - Ator Não-Global, Diretor Teatral, Cantor, Escritor e Jornalista


A lei 122/06, conhecida como PLC Nº. 122/2006, que tramita no Senado Federal, “define os crimes resultantes de discriminação ou preconceito de raça, cor, etnia, religião, procedência nacional, gênero, sexo, orientação sexual e identidade de gênero”. O projeto de lei busca criminalizar agressões contra homossexuais. Embora a proposta já tenha sido aprovada na Câmara, ainda está na Comissão de Assuntos Sociais do Senado, e neste período gera várias discussões na sociedade. No momento a lei está na Comissão, desde 04/08/2008, ao gabinete da relatora Senadora Fátima Cleide.

Acompanhe a tramitação da lei no sítio do Senado Federal

Atualmente, um dos maiores empecilhos em relação à aprovação da lei 122/06 é a forte influência de religiosos na política, principalmente de pastores evangélicos, e bancadas conservadoras de ultra-direita que, além de tentar impedir o projeto, também lutam para amenizá-lo, tentando excluir "orientação sexual" da proposta que torna crime o preconceito contra homossexuais. Dentro do debate entra sempre em pauta o Projeto de União Civil apresentado por Marta Sulpicy ainda em 1996, e até hoje não aprovado, mostra que desde então nada na prática foi alterado no Brasil. Apesar de pela constituição vigente o Brasil ser um estado laico.

A lei brasileira diz que todos somos iguais em direitos e deveres e se é verdade que temos o direito à liberdade de expressão, temos também o dever de zelar por direitos igualmente ou mais importantes que o de livre expressão, como o direito a vida, o direito a honra e outros. Se a liberdade de expressão fere um destes outros direitos, se ela se transforma em libertinagem na expressão tem-se o direito e o dever de zelar pelos direitos violados, pois o direito de expressão por parte de quem o exerceu torna-se desrespeitos e pernicioso.

Ainda não há proteção específica na legislação federal contra a discriminação por orientação sexual e identidade de gênero; portanto, estimados 10% da população brasileira ( em torno de 18 milhões de pessoas segundo dados do IBGE) continuam a sofrer discriminação de forma impune (assassinatos, violência física, agressão verbal, discriminação na seleção para emprego e no próprio local de trabalho).

Saiba mais sobre o PLC 122/2006

Existe hoje a mobilização e campanhas pela aprovação do Projeto de Lei da Câmara 122/2006, que "define os crimes resultantes de discriminação ou preconceito de raça, cor, etnia, religião, procedência nacional, gênero, sexo, orientação sexual e identidade de gênero".

Veja aqui o projeto de lei.

Manifesto a favor do PLC 122/2006

Manifesto PLC 122 de acordo com a fé cristã

Abaixo-assinado a favor do PLC 122/2006

Moção de Apoio à PLC 122



Fontes: Portal do Senado Federal, Serviço de Atendimento ao Cidadão do Senado, Folha de São Paulo, Wikipédia, Direito Constitucional, Relatório Kinsey e Grupo Gay da Bahia.

segunda-feira, outubro 06, 2008

O que significa LGBT ?

Fernando Schweitzer, Florianópolis-SC - Ator Não-Global, Diretor Teatral, Cantor, Escritor e Jornalista

Atualmente a sigla mais completa em uso pelos movimentos homossexuis é LGBTTTS, que significa: Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis, Transexuais, Trangêneros e Simpatizantes, sendo que o “S” de simpatizantes pode ser substituído pela letra “A” de Aliados ou ainda acrescido a Letra “Q” de Queer que não é muito comum, porém é utilizada em alguns países e por alguns grupos do movimento gay. A inclusão do “L” na frente da sigla do movimento gay deu-se pelo grande crescimento do movimento lésbico e pelo apoio da comunidade gay às mulheres homossexuais.

Comumente se tem utilizado pelos movimentos apenas LGBT, com o T suprindo a demanda: Travestis, Transsexuais e Trangêneros.

Inicialmente, o termo mais comum era GLS, sendo a representação para: gays, lésbicas e simpatizantes. Com o crescimento do movimento contra a homofobiaGLS foi alterada para GLBS, ou seja Gays, Lésbicas, Bissexuais e Simpatizantes que logo foi mudado para GLBT e GLBTS com a inclusão da categoria dos transgênerostransformistas, crossdressers, bonecas e drag queens dentre outros). A sigla GLBT ou GLBTS perdurou por pouco tempo pois o movimento lésbico ganhou mais sensibilidade dentro do movimento homossexual e a sigla foi alterada para LGBTS.

Diferenças de terminologia

No Brasil

O termo atual oficialmente usado para a diversidade no Brasil é LGBT (lésbicas, gays, bissexuais, travestis, transexuais e trangêneros). A alteração do termo GLBT em favor de LGBT foi aprovada na 1ª Conferência Nacional GLBT realizada em Brasília no período de 5 e 8 de junho de 2008.[1] A mudança de nomenclatura foi realizada afim de valorizar as lésbicas no contexto da diversidade sexual e também de aproximar o termo brasileiro com o termo predominante em várias outras culturas.

Em Portugal

Em Portugal o termo usado pelas associações nos últimos anos tem sido LGBT embora cada vez mais a letra T comece a ser vista como englobando Transgêneros e Transexuais.

Mais recentemente o termo LGBTQ começa a ser utilizado em discussões relacionadas com o assunto em português englobando assim Lésbicas, Gays, Bissexuais, Transgéneros/Transexuais, Queer, havendo também algumas referências ocasionais a LGBTTQI, incluindo assim explicitamente as pessoas Intersexuais.


Organizações Nacionais

Região Norte

Acre

Amazonas

Pará

Amapá

Roraima

Região Nordeste

Região Centro-Oeste

Região Sudeste

Rio de Janeiro

Minas Gerais

São Paulo

Espírito Santo

Região Sul

Paraná

Santa Catarina

Rio Grande do Sul


Fontes: AGLBT, Wikipédia, Portal MixBrasil, Revista A Capa


segunda-feira, setembro 29, 2008

O Circo Eleitoral em Debate

Fernando Schweitzer, Florianópolis-SC - Ator Não-Global, Diretor Teatral, Cantor, Escritor e Jornalista



Em período eleitoral é que a gente descobre que o vizinho é de esquerda, ou direita. Dentre esses seguimentos primórdios se conservador, social-democrata, progressista, trotskista, social-liberal, socialista, liberalista, democrata. Os adesivos de carro é a primeira pista, as conversas de bar deixando de ser apenas sobre futebol e sexo, no ônibus a senhora da frente fala com o motorista sobre algo mais que a chuva que vai cair logo mais.

Muitos dizem não gostar de política ao serem entrevistados, pois está estigmatizado que política é algo ruim. Mas ao mesmo tempo ninguém numa roda de amigos ou no ponto de ônibus deixa de dar seu pitaco em período de eleições. No ônibus outro dia houve uma senhora dizer: "Ele asfaltou a rua da minha vizinha, e agora vai asfaltar a minha!"

A polêmica se gera a partir do ponto em que ela citar quem é o candidato dela, pois alguém de pronto pode retrucar algo sobre o passado do que promete tais façanhas. Assim desencadeando o debate entre os pobres plebeus da nação.

Pérolas aos porcos

Após desqualificar a petista, Paulo Maluf desperta a fúria de Marta, que por sua vez, investiu em ataques a Paulo Maluf: "Seu sonho é asfaltar o Tietê", disse ela, respondendo ao ex-prefeito que é psicóloga, mas sabe bastante sobre transporte. "Como psicóloga, tenho bom senso, não vou asfaltar o Tietê."

A ultima pesquisa Ibope esquentou mais ainda a eleição paulista, onde o prefeito de São Paulo e candidato à reeleição pelo DEM, Gilberto Kassab, subiu 4 pontos percentuais - de 21% para 25% - na mais recente pesquisa do Instituto Brasileiro de Opinião Pública e Estatística (Ibope. Geraldo Alckmin teve oscilação negativa de 1 ponto percentual, de 21% para 20%. Marta Suplicy, continua liderando o levantamento com os mesmos 35% das intenções de voto da sondagem anterior.

Mas midiaticamente o grande interlocutor de pérolas Maluf, trouxe um mal estar quando perguntou para Soninha (PPS), o que ela faria para combater as drogas nas escolas. Pois ela já admitiu em entrevista à revista "Época" que usou maconha. O DR. Paulo Salim Maluf não tem papas na língua, dentre outras coisas. Na verdade está para levantar a chapa proporcional, sabendo que não tem chances de ir ao segundo turno, vê-se em posição privilegiada para criticar a torto e a direita. E sobrou até pra Soninha, que possui posição clara apesar de não convencional quanto a questão, que é de descriminalizar para combater o tráfico.

Ex bom é ex morto!

Os ex-aliados nesta reta final multiplicam suas fagulhas entre si, mesmo pegando no pé da senhora Marta do relaxa e goza, que certamente será utilizado no segundo turno com mais veemência por um deles dois. Ninguém sabe se em 2° turno serão novamente aliados mas as farpas no momento são de grosso calibre. Gilberto Kassab (DEM), disse que o adversário Geraldo Alckmin (PSDB) tentou convencê-lo a não disputar a eleição em troca de participação em sua eventual gestão na Prefeitura de São Paulo e apoio a uma candidatura ao governo do Estado, em 2010. O tucano negou. Então entra nosso palhaço da noite no debate da Record. Com a palavra Maluf: "Vou dizer que Kassab apoiou Alckmin em 2002 e Alckmin retribuiu em 2004. São farinha do mesmo saco. Eles brigam na sala de visita e se reconciliam na cozinha".

Escola de circo

Como num enredo circense as piadas nesta campanha eleitoral são as mesmas de sempre, o que mudam as vezes são os palhaços e as improvisações. Como em um picadeiro o show supre a falta de propostas. Quando vemos o debate no real sentido da palavra começar a fluir, seja um ou outro candidato não controla seu extinto, baixa o nível. É aquela máxima de quem não é visto não é lembrado. Fazer circo se diretamente não trás votos, dá visibilidade! E como se dizia antigamente: "E o palhaço o que é?". E a platéia respondia: "É ladrão de mulher!". Ainda bem que os políticos não perguntam ao povo: "E político o que é?".

Seja na TV ou nas ruas o debate sobre as eleições é de rir pra não chorar.