sexta-feira, maio 26, 2017

Marido de Primeiro-Ministro de Luxemburgo posa para retrato com primeiras-damas

O marido do primeiro-ministro luxemburguês, Xavier Bettel, o primeiro líder gay da União Europeia a casar-se oficialmente, foi desta vez o único homem na fotografia de grupo das mulheres e maridos dos líderes da OTAN, antes do jantar oficial no Castelo de Laeken, um evento paralelo da cimeira da OTAN em Bruxelas. No registro, também estão Melania Trump, Brigitte Macron, a rainha Mathilde da Bélgica, a primeira-dama da Turquia, Emine Gulbaran Erdogan, a mulher do secretário-geral da Otan Jen Stoltenberg, Ingrid Schulerud, além das primeiras-damas da Bulgária e Islândia.

Destacando-se na foto o belíssimo, Gauthier Destenay, que é casado com Bettel desde 2015, pouco depois de o Luxemburgo aprovar o casamento entre pessoas do mesmo sexo, era o único homem na fotografia das primeiras damas com a rainha Matilde da Bélgica. O marido do primeiro-ministro do Luxemburgo foi notícia por aparecer na fotografia das primeiras damas da NATO com a rainha Matilde da Bélgica. Hoje foi o marido da chanceler alemã o único homem ao lado das mulheres dos líderes do G7
Xavier Bettel, Gauthier Destenay
Essa foi a primeira vez que o marido de um chefe de Estado é incluído na imagem das primeiras-damas. Destenay e Bettel estão juntos desde 2010 e oficializaram a união em 2015, após o casamento homossexual ser aprovado em Luxemburgo.

Hoje foi a vez de Joachim Sauer, o marido da chanceler alemã, Angela Merkel aparecer na varanda da câmara de Câmara de Catania, na Sicília, a ilha italiana onde ocorre a cimeira do G7, ao lado de Melania Trump, a mulher do presidente americano, ou de Akie Abe, a mulher do primeiro-ministro japonês.

Cristina X Temer: "No podemos tener aquí un mamarracho como es el presidente de Brasil"

Resultado de imaxes para cristina en c5n
Criticas duras aos atuais governos de Brasil e Argentina, a ex-presidente concedeu entrevista ao vivo a cadeia de televisão C5N aonde falou de hiper-inflação, desemprego e a "tristeza do povo" que crê deva ser combatida com políticas inclusivas. Em entrevista ao vivo ao canal a ex-mandatária, Cristina Kirchner dispara: "No podemos tener aquí un mamarracho como es el presidente de Brasil". Em curta e grossa tradução livre: Não podemos ter na Argentina um fanfarrão como este em nosso país, como Temer. Esta entrevista se deu a título do 25 de Maio, data que marca a independencia da República da Argentina em 1810.

"O estado tem de estar ao lado do mais débil para equilibrar a balança!" - afirma Cristina sobre o imposto sobre as ganancias, e defende que quanto mais um ganhe, mas deve aportar ao estado. "As tarifas devem ser equitativas justas e racionais..." e se "viam os teatros, cinemas e restaurantes abarrotados de gente!". "Hoje nada mais é assim, as pessoas estão preocupadas em como pagar as contas e como comprar comida!", "o que está passado no Brasil e Argentina é algo singular no continente".

Acima de tudo o que hoje ocorre que é um desmonte das relações regionais em prol de se voltar a ser capacho dos EUA. A América Latina hoje desmorona em uma clara ação do imperialismo e capital especulativo mundial. A pergunta que me faço e faço a todos é: "Hoje você compra o mesmo que comprava antes?". Estamos regressando ao pior dos mundos, reféns do neoliberalismo selvagem. Precisamos por limites as agressões que se cometem ao povo mais corrente e comum.

Posso contar de minha parte que apesar de não concordar em pleno com a matriz e ações políticas da ex-prócer argentina, quando vivi em Buenos Aires sob sua tutela o país era muito menos pior do que o Brasil de hoje. Embora tenha me assustado ao visitar amigos no último ano de seu governo lá com os preços após 6 meses trabalhando no Brasil.
Fui a visitar amigos fraternos que fiz nesta meia dúzia de anos em terras portenhas. Quando cheguei em 2008 a cursar jornalismo na UADE, Universidad Argentina de la Empresa, me deparei com uma realidade incomparável a do Brasil. Aonde na 2ª universidade mais cara da Argentina pagava 600 pesos, equivalente na época a 142,37 reais mensais. Nunca vi até a atualidade algo parecido sequer na Universidade Makenzie de São Paulo.

Eram salas aonde a mesa possuía um Macintosh acoplado a mesa do professor e telão em absolutamente todas as salas de um predio gigantesco e 16 pisos com aproximadamente 30 salas por andar, próximo do Ministério do Trabalho Argentino que figura uma enorme figura em ferro moldando Evita Perón. Lembro com nostalgia o mega teatro, o ginásio de esportes, a academia de um dos prédios anexos e o outro de mesma altura com 16 pisos com 6 salas de informática por andar equipadas com 60 Macintoshs cada.

Pensava que estava em outro mundo. Porque tão "barato" o ensino? Lá o ensino público não possuía vestibular e nenhum tipo de exame de ingresso socio-nazista como no Brasil. Bastava levar um certificado de conclusão de segundo grau e se matricular e zaz, mais um universitário. Fora do paraíso universitário tinha de voltar para casa, a verdade um hostel cheio de estudantes estrangeiros. Mais de 10 nacionalidades! Em algumas residencias de estudantes que estive a viver depois cheguei a ter mais de 70 nacionalidades em um único local a conviver.

Cortemos a nostalgia. Ou tentarei. Esta época singular aonde se compravam 2kg de bola de lomo por 25 pesos... 2kg de filé mignon a 6 reais... E voltemos ao passado recente. O atual governo corroborou para que uma inflação de 20% que já me fizera decidir voltar ao Brasil antes do que eu previa ser um caos eminente. Claramente minha premonição se concretizou! Macri presidente! O neoliberal e ex-governador do Distrito Federal, ou melhor da Ciudad Autónoma de Buenos Aires chegara a Casa Rosada.

Não se precisaram mais que dois meses de governo para a inflação atingir 3 dígitos, o desabastecimento se tornar corriqueiro no país. O programa do governo "Precios Cuidados" fora desativado, o que causou uma subida de preços nas gôndolas no mercado de 10 a 20% ao dia. Quis ir a um de meus restaurantes de parrilla libre predilectos. Comer churrasco a vontade e ter de brinde um litro de vinho já não saiam mais 80 pesos, senão 265. Fiquei estarrecido com o número de locais fechados no antes ostentoso bairro de Puerto Madero e também por não ter de esperar 1h30 na fila do Siga la Vaca. Só pude gritar em alto e bom som: "¡Che, cagaron a mi país!"
Resultado de imaxes para cristina en c5n
O Subte, como é chamado o metrô portenho tem tarifas hoje de 7,50 pesos. No meu tempo(como amo essa expressão) custavam 0,90. Como o serviço de ônibus em Baires é 24 horas, e a tarifa máxima era de 1,10 pesos eu me cansava de ir e voltar de baladas e festas assim. Atualmente a tarifa é de 11 pesos. Seis anos sem precisar olhar um horário de ônibus. O taxi era bem barato também, muitas vezes atrasado ia para a faculdade em táxi... Algo como 3 vezes por semana(risos). Com o troco almoçava na SubWay ou Star Buck's de dentro da faculdade.

Gente, e o dólar, fetiche eterno dos portenho(assim chamamos os argentos da capital somente). Beirando 18 pesos... Saudade do dólar a 3,50 nos arbolitos. Aquele típico cambista que la ficam baixo as árvores pelos principais pontos da cidade...

E porque escrevi tudo isto? 1) Para concordar com la Cris que "No podemos tener aquí un mamarracho como es el presidente de Brasil". 2) Para ao menos em minha mente matar as saudades dos melhores anos de minha aburrida vida. 3) Para reafirmar que não voto e jamais votarei nem no PT e Nem no PSDB. 4) Para pela primeira vez em minha vida gritar: "Fora Temer!" e "¡Te extraño Cristina!".

quinta-feira, maio 25, 2017

OMS declara solteirice um transtorno e descapacidade

Resultado de imaxes para fugir casamento
Sua falta de jeito para ser capaz de encontrar uma pessoa ou formar par com quem deseja ou que gostaria de compartilhar sua vida e ter filhos, é sim grave problema. Não encontrar alguém que lhe dê amor, alguém que possa querer tentar conceber intimidade com você. Por mais que você queira ser uma pessoa que tenha ao lado um ser especial acabarás infértil e ficará incapacitada de dar luz a uma nova geração.

Embora essa deficiência não se qualificar ainda para que possamos receber assistência do governo especial ou salários sem trabalhar, ele vem com algumas vantagens, pelo menos para alguns. Tudo começa com a infeliz capacidade de se procriar em casal. Obviamente antes de ser capaz de se conceber via laboratório, as coisas eram muito mais simples e apenas seguia o curso da natureza. 

Isto terminou quando foi determinado que a incapacidade de ter filhos, ou politicamente infertilidade é considerada uma deficiências e criou multiplicidades na vida moderna, pois não apenas casais héteros agora podem gerar uma vida.

"Estou solteiro porque eu não brinco de namorar e muito menos com os sentimentos das pessoas, não namoro pra quem já me esqueceu, não namoro só pra ter status no facebook..." Desculpa típica dos fracassados na arte da caça pelo par perfeito. Mesmo a considerar a quantidade de gente feia que tem relações estáveis, você pode fracassar por inúmeras razões no momento da conquista.

Alvo errado é o caso mais comum. Se interessar por alguém que não está dando a mínima para você. Seja objetivo, não perca tempo com quem.  O isolamento social pode aumentar em 14% o risco de morte em adultos. Então caia na gandaia sempre, com amigos e inimigos, é saudável.

John Cacioppo, psicólogo da Universidade de Chicago, já havia identificado um vínculo entre a solidão, um aumento de atividade dos genes envolvidos nas inflamações e uma diminuição da atividade de outros genes que cumprem um papel crucial nas respostas antivirais do corpo.

Dentro desta perspectiva e com o índice alarmante e crescente de solteiro acima de 30 anos em escala crescente a OMS passou a pesquisar o tema e sua interferência no cotidiano humano. Se pode constatar que devido ao declive da economia mundial as pessoas vêem o casamento como uma possível subida nos seus gastos e diminuição da qualidade de vida. O efeito rebote deste novo pensar socio-cultural é a solteirice crônica. Propositalmente as pessoas evitam profundizar-se nas relações o que causa um quadro subsequente de depressão e crises de ansiedade.

JORNALISMO: Bom texto X Bom Salário!

Resultado de imaxes para jornalismo pobreza
Fechei a cota de 500 cópias de currículos entregues a diversos jornais e outras empresas do ramo da comunicação e... Zero respostas! Passei a não entregar mais currículos e apenas então me comunicar a anúncios de vagas disponíveis... Zero respostas! Passei a ler novamente a mídia local a descobrir o que ocorria, pois, seguia publicando matérias e artigos de forma independente, e sim, eis que descobri.

A chave para o êxito, é não usar mais de termos e frases bem elaboradas, muito menos de textos bem escritos. Ser chulo e superficial, pois este era o nível do que li na mídia brasileira no último mês. Por fim me vi preparado. Comecei a publicar textos de nível duvidoso e qualidade execrável... Pimba! Ex-amiguinhos de faculdade me teceram elogios e repercutiram minhas matérias. Foi difícil, estudar um mês para me tornar um jornalista nível bosta, padrão, midiático, convencional.

Tanto esforço para... A não mais de 5 textos produzidos ver minha qualidade textual e jornalística subirem gradualmente e de forma inconsciente. Os acessos a meus textos também foram subindo ao passo que voltei a escrever coisas decentes. Mas não o suficiente para gerar renda para pagar as contas. Então a encruzilhada que lhe atravessa o caminho. Ser uma badalhoca e ganhar uma vaga num veiculo padrão e assim lograr pagar as contas, ou, seguir ético e com qualidade em minha produção textual?

Maldição! Amaldiçoo veementemente(segura o caco-fonema) esta maldita aptidão  amaldiçoada do bem escrever. Não serei mais o repórter a receber abaixo do piso da categoria. 

Respostas de veras taxativas não possuo para esta tragédia concerne do jornalismo atual. Mas penso seriamente em ir a padaria mostrar ao dono um artigo meu e pedir um sandwiche em troca. 

Quando vejo que meu escrever tem mais acessos que um caderno inteiro do Diário Catarinense me sinto impactado. Acabo por perceber que nossa sociedade valoriza o status e não o conteúdo. Mas de que serve para um jornalista escrever incrivelmente bem? De que serve se não tens olerite com 4 dígitos, perguntarão? ABSOLUTAMENTE DE NADA!

Pobre Francés (Poema de Nando Schweitzer)


Este francés... 
este objeto raro y conocido,
como una piedra... 
o una bola de pelos...
Gusto a pomelo fuera del plazo de validez, 
adstringente como vino barato abierto en la semana pasada

Este que te hace gritar 
como una nena en el tren fantasma, 
tal cual ambulancias o alarmas de auto a las 3 de la mañana

Olía a un perro bajo lluvia de verano 
o a mi hermano recién llegado del fútbol

Mientras me acercaba intentaba no ver
Al verlo decidí nunca más olvidarme

Un pan en un cajón.... 
Pobre francés...

Resultado de imaxes para pão frances velho

VIOLÊNCIA: Exército é acionado contra manifestantes que pedem Diretas Já!

A imagem pode conter: uma ou mais pessoas, árvore e atividades ao ar livre
É grande o número de feridos e presos perante o agravamento dos confrontos em Brasília, todos os edifícios da Esplanada dos Ministério foram evacuados. O protesto tinha iniciado de forma pacífica, mas gerou violência, esta que começara por volta das 13:30h. O ministro da Defesa Raul Jungmann classificou os episódios de “vandalismo, desrespeito, agressão e ameaça”. O , quando os manifestantes tentaram se aproximar do Congresso. O mesmo que foi capaz de destituir Dilma, mas é conivente com o atual presidente.

No entanto, o protesto mostra que as ruas já não aceitam a continuidade de Michel Temer e sua agenda de retiradas de direitos. Nenhum ato repressivo poderá fazer recuar a vontade de mudança no país. Todavia a grande preocupação é: Quais serão estas mudanças? O Brasil vai se tornar mais conservador do que já é? A plutocracia dará vez finalmente a uma democracia?
Dentro do Congresso, após ter sido decretada a intervenção do exército, a confusão se instalou também entre deputados, registando-se confrontos entre parlamentares apoiantes e opositores de Temer. Mais cedo, Temer havia colocado as Forças Armadas nas ruas de Brasília para lidar com as manifestações até o dia 31, sob pretexto de “manter a lei e a ordem”. Imediatamente, o PSOL na Câmara apresentou um Projeto de Decreto Legislativo para sustar o decreto da Presidência da República. O projeto foi assinado pelo líder da bancada, Glauber Braga, junto com os deputados Ivan Valente, Jean Wyllys, Chico Alencar e Edmilson Rodrigues e a deputada Luiza Erundina.
A imagem pode conter: 6 pessoas
Os organizadores do protesto, as frentes Brasil Popular e Povo Sem Medo, União Geral dos Trabalhadores (UGT) e Nova Central Sindical de Trabalhadores (NCST), afirmam que pelo menos 150 mil pessoas saíram às ruas em Brasília. Segundo o jornal O Globo, a Polícia Militar brasileira informou que seis dos seus agentes ficaram feridos nos confrontos. 
Obvio que o ato em si é um equívoco. O correto seria matar todos os congressistas que votaram em favor das reformas que retiraram direitos históricos dos operários e obreiros no país. Mas nosso exército, tal como a polícia no país novamente é colocada como bucha de canhão contra os interesses da população.

Não é de cabida das Forças Armadas, de acordo com a Constituição de 1988, a função de reprimir manifestações populares. Este Congresso Nacional não pode tolerar uma medida autoritária como essa, que visa ao cerceamento do sagrado direito de manifestação. O desgoverno de Michel Temer aprofunda o arbítrio e fere gravemente a democracia brasileira.
A manifestação convocada para protestar contra as reformas do Governo Temer, que nos últimos dias passou a exigência da destituição de Temer, envolucrado em vários escândalos de corrupção que atinge praticamente toda a classe política brasileira, e a mérito de uma luz no fim do túnel finalmente pede a realização de eleições diretas no país, algo que líderes da oposição como Luciana Genro vem pedindo a mais de 1 ano.

quarta-feira, maio 24, 2017

Brasil ame ou deixe-o?

Uma coxinha me diz "Vai pra Cuba!", justa para mim que soy socialdemocrata? Aí diz que eu já deveria ter saído do país... Então lhe pergunto porque ficou tão brava por eu mostrar esta foto da pobreza nos EUA? Afinal pobreza no capitalismo não existe? (Mas aí a coxa exclui a postagem por falta de argumentos)
Resultado de imaxes para pobreza nos estados unidos
Indigentes nos Estados Unidos/AFP
Imagino que se a 1ª potencia mundial e capitalista tem pobres, Cuba após 55 anos de embargo econômico deve ter pobres também. Mas profundizemos. Só existem 2 países no mundo. Só o ranking ao que consta no site quanto ao IDH medido pela ONU são 197 países. E o Brasil sendo a 7ª economia do mundo está na 78ª posição no Índice de Desenvolvimento Humano, abaixo de Argentina, Ecuador, Venezuela, Uruguai, e pasmem Cuba.. É Cuba está a frente. 

Agora o que quero questionar é se tantos países estão com um IDH melhor que o Brasil, você coloca-se em posições anti PT(por ter feito um governo neoliberal), anti PSDB e PMDB por motivo similar, uma analfabeta funcional e política emana o mantra da coxinholândia: vai pra Cuba!; seguido de uma versão moderno do mote do regime militar: Brasil ame ou deixe-o!"?

Esta demente estava falando mal do Brasil e não proferi coisas similares a ela. Apenas a cada foto sobre a miséria em Cuba, correspondi com uma foto sobre a miséria nos Estados Unidos...

Facílimo de explicar. Quando a pessoa tem "opiniões" sem embasamento teórico, histórico, político, social ou mesmo sequer foi corretamente alfabetizada utiliza como retórica discursos fáceis, bobos e superficiais. Alguém que me diz ser contra a corrupção afirmar que votará em tucanos pois são a "única" opção. Repetir tolices da década de 60 e 70 se achando politizada. Aferir a mim a alcunha de desvairado e ignorante?

Seguramente se tivesse dinheiro para a passagem, nem precisaria mais que a passagem sairia deste país que transborda gente mediocre, mas dentre os 197 países das Nações Unidas o meu destino tão pouco seria Cuba. Mas se vivera em Cuba seguramente meu último destino seria o Brasil.

Mundo Moderno: Daesh na Indonésia açoita homossexuais em público

Ambos levaram 82 vergastadas depois de terem sido condenados por manterem relações sexuais. Na passada segunda-feira, foram detidos mais de uma centena de homens numa sauna em Jacarta. Mas Aceh é a única província da Indonésia que criminaliza as relações entre casais do mesmo sexo e usa as leis islâmicas com código legal, em adição às leis do país. Muitos filmaram o acontecimento e levaram tarjas ou gritaram contra os direitos e a presença da comunidade LGBT na região.

Dos homens, de 20 e 23 anos, naturais da Indonésia, foram castigados em público com 82 vergastadas, acusados de manterem relações sexuais e serem gays. Na cidade de Banda Aceh, capital da conservadora província de Aceh, na Indonésia, a decisão de um tribunal islâmico levou ao castigo. Centenas de pessoas apareceram para ver a primeira aplicação das leis anti-homossexualidade que estão em prática na região desde 2014.

Nova York: A voz do milênio grita por "Diretas Já!"

AFP
O show terminou no último dia 19 aos gritos de "Fora, Temer!" por parte do público, enquanto alguns exibiam cartazes pedindo "Diretas Já" ocorreu em terras gringas. Com a cortina já fechada, ouviu-se a voz rouca de Elza: "Diretas já! Diretas já! Diretas já!" no Town Halle, em Nova York, nos Estados Unidos, com o show "A mulher do fim do mundo". espetáculo se baseia em seu último disco, vencedor do prêmio de Melhor Álbum de Música Popular Brasileira no Grammy Latino em 2016, um tipo de samba futurista que combina música eletrônica, art-rock e bossa-nova em canções inéditas.

A algum tempo atrás ela já causava, vestida com uma roupa emprestada pela mãe e ajustada com alfinetes, chegou em 1953 à rádio Tupi para cantar em troca de algum dinheiro para comprar remédios para o seu bebê doente. "E você, de qual planeta você veio?", perguntou---lhe ironicamente o apresentador do programa, o famoso compositor Ary Barroso, fazendo piada por sua roupa grande demais, enquanto a plateia ria... "Do mesmo planeta que o seu", disse Elza. "E qual é?", insistiu Ary, sem saber que a resposta entraria para a história da música popular brasileira. "O planeta Fome", lançou a adolescente, deixando todos estarrecidos.

Sempre e mesmo antes de virar moda ou politicamente correto, a cantora levantou a bandeira da luta contra o racismo, o machismo, a violência doméstica e a homofobia. E hoje também denuncia a situação política e econômica no Brasil, que descreve como "caótica". Depois de Nova York, entre o fim de maio e julho, fará shows em Barcelona, Porto, Roterdã e Roskilde.

terça-feira, maio 23, 2017

Ação do governo paulista causa caos e violência em zona da Cracolândia

Usuários de drogas ocupam posto no Centro de SP (Foto: Reprodução/TV Globo)
O novo prefeito da capital paulista decretou: A Cracolândia acabou!", embora durante a madrugada do dia 22/05, usuários que antes habitavam a chamada região da Cracolândia no centro-histórico paulista foram dispersados por uma ação que abarcou quase 1000 operativos da PM e se concentraram dentro de um posto de combustível e foi espalhando o caos pela região central da cidade. Eles invadiram o estabelecimento quando o posto ainda estava aberto. O comércio fica na Avenida Rio Branco, a duas quadras do antigo ponto de concentração. Padarias e bancas de revistas na região também sofreram saques e atos de vandalismo.

Enquanto ocorria a dispersão no domingo, alguns usuários de drogas deixaram rastros de destruição ao depredar e roubar automóveis. Um grupo entrou em uma padaria na Alameda Barão de Limeira e depois roubou uma banca de jornais. Carros também foram destruídos. As investidas para desmontar a Cracolândia, em diferentes governos, foram em vão até agora. A Operação Tolerância Zero, comandada pelo então governador Mário Covas (PSDB), em 1997, foi a primeira grande ação policial a prender usuários. O resultado não foi nada auspicioso: a Cracolândia apenas se deslocou de algumas quadras para outras, na mesma região central.

Nesta terça para completar o despautério inacreditável e a desumanidade da gestão João Doria, ao permitir que máquinas derrubassem casas, com moradores dentro, dormindo, na já tão midiatizada cracolândia. Na avaliação do Conselho Federal de Psicologia, as novas ações usam abordagens "inadequadas e ineficientes". O programa de Haddad tinha orçamento anual de R$ 12 milhões e gasto de R$ 1.320 por mês por usuário. O de Dória não tem os custos informados. Já o de Alckmin, que prevê internações compulsórias, custa R$ 80 milhões por ano e R$ 1.350 por usuário por mês.
A recente ação foi responsável pelo fechamento de uma das pensões que funcionavam na região com um muro. Outro muro que fechava a entrada de um terreno foi demolido. A administração municipal diz que outros edifícios serão demolidos para a reurbanização da área. Similares as operações realizadas no passado o ato intransigente do governo Alckmin gera polêmica nas redes sociais. Desde defesas calorosas de que há que se destruir a Cracolândia a quem veja a ineficacia do ato e o rotulam de higienista e inocuo.

Um comentário no portal G1 ironizou a ação: "... Pensei que haviam sido desintegrados, parecia tão fácil a solução deste problema nas palavras do Prefeito Prodígio! Talvez por ignorar a sua complexidade  com uma simploriedade Bolsonariana..." - instigou o usuário que assinou apenas como Rodrigo. Já Danilo Moreira comemorou: "Espero que o Dória consiga mudar essa situação. Ao menos, ele está tentando fazer o que ninguém nunca se mobilizou pra fazer."

Em nota assinada junto com o Conselho de Psicologia do estado de São Paulo, a entidade faz duras críticas à mudança nas ações voltadas para dependentes químicos. A ação afronta os 30 anos de história da luta antimanicomial no Brasil, recém-celebrados em 18 de maio, e os princípios internacionais dos direitos humanos. A violência policial ostensiva foi o expediente utilizado para promover a remoção e a internação forçadas da população em situação de rua que habitava a área do centro de são Paulo conhecida por "Cracolândia"

Estudiosos da área da saúde afirmam que a Cracolândia ganhou status de “nação independente”, ou seja, se “consolidou”, em meados dos anos 90, entre as gestões de Paulo Maluf (1993-96) e Celso Pitta (1997-2000) passando de problema de segurança ao de saúde pública. Em meados dos anos 2000 começou o “uso descarado” do crack na região. A definição da assistente social Neide de Almeida Nunes, que trabalha na Luz desde 1988, nada mais quer dizer que o uso público da droga passou a ser tolerado.

Os especialistas são unânimes ao criticar a falta de continuidade na implantação de políticas públicas de prevenção e tratamento para usuários de crack. É verdade. Mas a discussão vai muito além da busca de culpados. E há um agravante: além de ser uma questão de saúde pública, o combate ao crack é, também, e acima de tudo, uma questão de segurança pública. Não haverá sucesso sem sufocar o tráfico de drogas.

Nos Estados Unidos, além de desmantelar o esquema dos traficantes, as autoridades criaram tribunais especializados em delitos relacionados ao uso de drogas. O governo americano não conseguiu acabar com o consumo do crack, mas o uso despencou de 337 000 pessoas, em 2002, para 83 000 em 2011. Em São Paulo, a polícia – em uma ação “desastrada” ou não – conseguiu ao menos desmontar o cenário dos traficantes. O primeiro de muitos passos que a sociedade espera serem dados em busca de triunfo na batalha contra esse flagelo.

A concentração dos “crackeiros” foi um processo natural, uma vez que o alto grau de dependência da droga exige um local onde o poder público não está presente. “As zonas abandonadas foram escolhidas por viciados em todas as cidades do mundo onde há crack”, afirma o psiquiatra e professor da Unifesp Marcelo Ribeiro. O surgimento de uma área de uso do crack em São Paulo é o desdobramento mais recente de um longo processo de deterioração do Centro da cidade, iniciado ainda na década de 1950.

De acordo com o estudo “Circuitos de uso de crack na região central da cidade de São Paulo”, da psicóloga Luciane Raupp e do cientista social Rubens Adorno, a procura pelo crack na região da Luz se intensificou em 1991 e alcançou grandes dimensões em 93. O estudo, apresentado na Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo (US), mostra que a prevalência do crack cresceu de 5,2%, em 89, para 65,1% entre 95 e 97. A droga passou a ser a mais consumida nesta região da cidade.

Xanas ao leo: Este enquadramento pode aumentar a demanda turística?

Se a moda pega, ein? Duas mulheres foram vistas a passear, a tirar fotos em alguns locais do Porto e de Gaia em Portugal. Agora, a publicação de um vídeo no Twitter de uma das mulheres esclareceu o mistério: Jeny Smith e Vienna Love estiveram na Invicta a fazer turismo nuas, uma prática que levaram já a várias cidades do Mundo.

Apesar de estarem nuas durante as filmagens, os vídeos não são despidos de interesse turístico, uma vez que são inseridas nas imagens várias informações sobre a história e os pontos de interesse das cidades que visitam. Os vídeos e as sessões fotográficas são depois colocados em vários sites e nas redes sociais das próprias mulheres.

Bem... nuas nuas não estavam... porque pelo menos usavam um par de sapatos... mas não deixa de ser uma bela ideia... Para promover o turismo em vários locais no mundo e quiçá no Brasil a moda pegue... Jeny e Vienna passearam na Ribeira, nos Clérigos e na Zona Ribeirinha de Gaia. Mas seria interessante a versão masculina, pois o nu masculino causa mais repercussão e discussão entre os puritanos nas redes sociais.

Conheça os Filmes Selecionados da 11ª Mostra Cinema e Direitos Humanos

Entre curtas, médias e longas-metragens, os filmes a ser exibidos dividem-se em três mostras: Panorama (com 17 filmes selecionados a partir de convocatória pública), Temática (que abordará questões de gênero), e Homenagem (com foco na obra da cineasta Laís Bodansky). Uma novidade deste ano é a Mostrinha, voltada para o público infanto-juvenil e que exibirá outros oito curtas-metragens.

A 11ª edição da Mostra Cinema e Direitos Humanos, uma realização do Ministério de Direitos Humanos, com produção nacional do Instituto Cultura em Movimento, começa nesta segunda-feira, 22, em Florianópolis. O evento acontece nas 26 capitais do país e no Distrito Federal, em centros culturais, instituições públicas e privadas e escolas.

Na capital catarinense, a exibição gratuita de 29 filmes será no cinema do Centro Integrado de Cultura (CIC). Após a apreciação de alguns títulos, haverá debates. Estão previstas três sessões diárias de terça a sexta-feira (9h, 14h e 19h30) e outras quatro no fim de semana (14h, 16h, 18h e 20h).

Acesse no site a programação e veja como participar de todos os evento: http://mostracinemaedireitoshumanos.sdh.gov.br/2015/programacao/